AVVA Saúde

Falar de saúde é falar de alimentação. Foi a partir dessa premissa que Camila Miranda, criadora do AVVASaúde, começou a conversar comigo, me convidando a colaborar para este espaço. Entendendo que saúde e alimentação andam juntos, queremos motivar as pessoas a cuidarem mais da sua alimentação, trazendo informações e reflexões que nutram a experiência diária do comer.


Todos os dias, algumas vezes por dia, precisamos fazer escolhas do que comer. Mas essas escolhas são, muitas vezes, inconscientes, apressadas e automáticas, e isso pode se repetir por uma vida inteira. Entender isso vai nos ajudar a transformar nossos hábitos e rever alguns padrões que podem nos fazer mal sem percebermos. Criar uma rotina alimentar com planejamento e eficácia nos ajuda nesse processo. Mas também é possível improvisar, criar algo novo todos os dias em pouco tempo, com poucos recursos e optando por algo que realmente nos nutra e nos faça bem.


Fazer isso talvez seja um desafio no início mas, aos poucos, pode se tornar um prazer. Pois percebemos que a cada escolha consciente, conectamos as necessidades do nosso corpo com nosso emocional e nosso desejo.

Te convido a fazer esse exercício como uma forma de se tornar mais consciente da sua alimentação diária.

  1. Preparar sua própria comida sempre que possível. Isso vai te ajudar a se aproximar mais da cozinha, dos alimentos e suas formas de preparo, dos temperos e dos aromas. Além de ser mais econômico também te ajuda a ter maior consciência e controle daquilo que está comendo.
  2. Começar a cozinhar um pouco antes de estar com fome. Se você consegue organizar uma rotina diária de alimentação, seu corpo se adapta aos horários de refeições e você pode começar a prepará-las antes de ter aquela fome que te faz querer comer qualquer coisa sem conseguir pensar.
    Além disso, o ato do preparo vai estimulando seu corpo (através de alguns sentidos como visão, olfato, tato, paladar, etc.) a sentir o desejo de comer de forma fisiológica e não somente pelo hábito.
  3. Estar atenta a como se sente antes, durante e depois de cada refeição. Você pode anotar o que for observando e criar um diário da sua alimentação. Faça esse experimento por uma semana e ao final desses dias, leia as suas anotações para ver quais preparos te deixaram mais ativa ou sonolenta, mais saciada ou cheia.
    Esses três pontos podem ser um início a uma transição alimentar, uma mudança de hábitos ou uma maior conscientização do poder da alimentação no nosso corpo físico e emocional. Experimente com diferentes alimentos e combinações e vá ampliando a percepção que você tem da influência deles.

    Criar consciência no ato de comer é uma forma de autoconhecimento e autocuidado. Um ato de amor a si mesmo. É cuidar diretamente da nossa saúde, do nosso corpo-casa. E é a partir dessa reconexão que vamos transformando a nossa relação com o alimento. Percebendo o que nos faz bem e o que não, para que exista esse diálogo interno que nos permita escutar o que o nosso corpo precisa para estar bem, saciado, são e forte.